quinta-feira, 28 de junho de 2018

Como lidar com a perda de um emprego!

Muitas pessoas encaram suas vidas profissionais com tanto orgulho que seriam até mesmo capazes de tirar a própria vida caso perdessem os seus determinados empregos. Receber a noticia de uma perda profissional pode ser uma das ocasiões mais dolorosas e traumáticas que uma pessoa pode enfrentar. Pode afetar todos os aspectos de sua vida, das relações interpessoais até mudanças no sono. Pode causar sentimentos de ira, inadequação, medo, vergonha, fracasso, isolamento e constrangimento. De fato, se ficarmos desempregados por muito tempo, podemos desenvolver uma depressão situacional.
Muitos profissionais sentem que depois da morte de um filho ou de um divórcio, a perda do emprego é, provavelmente, a ocasião mais terrível da vida. O que torna a perda do emprego tão traumática é o golpe devastador que isso dá à autoestima. Quando se é demitido, qualquer que seja a razão, a mensagem implícita ou subliminar que se recebe é: “Sou um fracasso. Não sou suficientemente bom. Não importa se há crise econômica, se eu fosse mesmo bom, eles teriam me mantido”. E com essa forma de se enxergar faz com que a Tristeza nos domine e ficamos totalmente vulneráveis a qualquer tipo de incômodo, fazendo com que a felicidade se torne mais distante. A perda repentina do emprego pode levar ao isolamento porque quando uma pessoa passa por algum problema tanto familiar quanto qualquer outro, tende a compartilhar a dor com aqueles em quem confia. Ela conversa com colegas de trabalho, amigos e familiares. Consequentemente, há sempre alguém no trabalho para confortá-la e aconselhá-la. De modo inverso, quando a pessoa perde o emprego, a última coisa do mundo que deseja é dizer a alguém o que aconteceu, temendo que os outros possam considerá-la uma pessoa fracassada. Ela entra em um “voto de silêncio” e termina por isolar-se justamente das pessoas que estariam mais dispostas a ajudar. Infelizmente, essa tendência de se esconder atrás das barreiras que ela mesma cria e de limitar a interação social é totalmente prejudicial na busca de outro emprego. Pode aumentar muito a dificuldade de seu retorno profissional.
O que essas pessoas, que não conseguem lidar inicialmente com a perca do emprego, precisam entender é que a demissão não necessariamente significa um prenúncio do fim. É muitas vezes a chance de um recomeço, de reavaliar a carreira profissional e a relação entre trabalho e convívio familiar. Basta superar o trauma inicial e levantar a cabeça. O emprego que tinha antes servirá tanto como um aprendizado do que foi exercido e ajudará em uma execução futura, quanto também se tornará um exemplo a mais de comprovação de experiência profissional. Esses atributos que são herdados de um emprego anterior passam a servirem como uma “carta na manga” para diferenciarmos dos demais concorrentes que possam estar na mesma situação de quem também perdeu um emprego e está à procura de outro. Então, nesse caso podemos perceber que a perca de um trabalho abre portas para oportunidades que estão por vir. E a melhor forma de conseguir um emprego que possa ser ainda melhor que o anterior é justamente a força de vontade que estimula qualquer um a dar a volta por cima e continuar a caminhar em busca da felicidade e satisfação profissional.

9 comentários:

  1. O q vale levar numa situação como essa é o conjunto de habilifares desenvolvidas no emprego anterior para um próximo. Claro q pra muitos é traumatico mas é possivel enxergar isso como un momento de transição.

    ResponderExcluir
  2. E como diria o neurocientista Pedro Calabrez: a perda torna o cerebrc deficiente e desfuncional. Mas a mudança de ares e novos aprendizados têm papel rejuvenescedor para as células do corpo, no geral, e, consequentemente, faz o cérebro manter-se novo...
    Muito bom o texto e bastante útil, principalmente nos dias de hoje. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns!! Ótimo conteuco 👏👏👏

    ResponderExcluir